Doenças


Mosca-dos-chifres

A mosca-dos-chifres (Haematobia irritans) atualmente é considerada um dos ectoparasitas mais importantes dos bovinos das Américas, assumindo um grande papel como entrave no desenvolvimento da pecuária brasileira. 

As moscas permanecem no dorso dos animais picando-lhes periodicamente e sugando-lhes o sangue. Isso provoca um grande estresse, ocasionando perdas na produção de carne, leite e menor desenvolvimento dos bezerros.

As moscas permanecem sobre os bovinos 24 horas por dia, e saem apenas quando estão no momento de colocar os seus ovos nas fezes. Quando os animais defecam, as moscas que estão prontas para desovar voam até as fezes frescas e ali depositam seus ovos, retornando em seguida para o mesmo animal. As larvas eclodem e transformam-se em pupas e, depois, em moscas adultas.

O ciclo da mosca no Brasil dura, em média, 30 dias. Na época das chuvas, porém, esse ciclo pode ser reduzido para 7 a 10 dias, pois há condições ideais de temperatura e umidade do ar.

No Brasil, os prejuízos econômicos atuais causados pela mosca-dos-chifres são estimados em US$ 150 milhões de dólares. Estes prejuízos são decorrentes principalmente da diminuição da produtividade (exemplificando, 200 moscas podem induzir uma redução de 10 a 15% no ganho de peso), do gasto com tratamentos, entre outros.

Atribui-se à mosca-dos-chifres, a condição de vetora de várias doenças nos bovinos, como as bacterianas, as rickettsioses (anaplasmose) e a tripanossomose. Acredita-se também que a mosca-dos-chifres seja vetora das larvas da Dermatobia hominis (berne). 

Como reconhecer

O diagnóstico é feito pela observação da presença da mosca no rebanho. A Haematobia irritans pode ser facilmente reconhecida, pois se encontra em grande quantidade sobre os animais e frequentemente tem sua cabeça voltada para baixo. O comportamento dos animais também é um indicativo da presença da mosca. Ficam inquietos, não se alimentam adequadamente e, consequentemente, ocorre diminuição da produção de carne e leite, irritação da pele no local da picada, anemia e perda de qualidade do couro. 

Como tratar

Para o tratamento dessa infestação podem ser utilizados inseticidas aplicados por pulverização, banhos de aspersão ou imersão (piretróides e organosfosforados) e pour on (piretróides e organofosforados), avermectinas na forma de pour on e brincos mosquicidas. 

Como evitar

Para controlar a presença da mosca-dos-chifres em uma propriedade deve-se realizar o controle estratégico, que recomenda duas aplicações por ano. A primeira, no início da estação seca, com produtos à base de piretróides nas formas de pulverização, banhos de aspersão, imersão ou pour on e/ou brincos na orelha. A segunda, no início da estação chuvosa, com produtos à base organofosforados, nas formas de pulverização, banhos de aspersão ou pour on e/ou brincos na orelha. Qualquer um dos tratamentos podem ser substituídos por endectocidas pour on do grupo das avermectinas.

Durante o período chuvoso, devem ser realizados tratamentos táticos sempre que o número médio de moscas for de 200 por animal. O controle deve ser regional, ou seja, realizado por todos os proprietários da área a ser controlada.

Produtos Vinculados: Neocidol B40, Ectofós, Flytick, Flytick Plus, Controller CTO Pour-On.


Veja mais


  • 01
  • | Total: 1 items